3 pontos que tornam as start-ups mais atraentes para profissionais

homem loiro com smart phone

Enquanto grandes marcas e grandes benefícios aos funcionários costumavam ser uma proposta atraente, parece que a força de trabalho de hoje valoriza mais do que apenas vantagens e recompensas financeiras e está a encontrar isso em startups.

É fácil apontar para o “fator coolness” das start-ups para explicar a mudança de empresas maiores e mais estabelecidas, mas coolness por si só não contribui para a satisfação do funcionário no trabalho, nem ajuda as estatísticas assustadoras de que 3 em cada 4 start-ups não dão certo e saem do negócio com bastante rapidez.

Numa recente pesquisa global da Robert Walters, 50% dos profissionais preferem a experiência de trabalhar numa start-up à estabilidade de uma empresa tradicional e bem estabelecida. Com o aumento do número de profissionais trabalhando em start-ups, fica claro que há movimento de funcionários de organizações tradicionais para empreendimentos da nova era.

Dentre os principais motivos em que os profissionais estão a deixar os seus atuais empregos em empresas tradicionais, temos:

  • 55% Progressão de carreira
  • 33% Para experimentar algo novo
  • 20% Cultura corporativa fraca
  • 14% Para requalificar
  • 13% Maior flexibilidade

Ao entrevistar diversos líderes de startups, a Robert Walters identificou as principais estratégias de atração que usam: Crescimento de carreira, Inovação e Cultura.

Crescimento de Carreira

Os funcionários de hoje em dia querem sentir que a sua contribuição para a empresa tem um impacto. As pessoas ficam felizes em trabalhar arduamente, mas os profissionais investigados disseram que querem trabalhar numa cultura que os inspire a fazer o melhor (42%) e a ter autonomia sobre os seus projetos (28%). Também querem receber reconhecimento de maneiras além do pagamento e bónus.

Embora as start-ups às vezes não ofereçam um alto salário inicial, oferecem um ambiente de trabalho diferenciado e desafiador. 43% dos profissionais pesquisados disseram que o ambiente de trabalho desafiador vivenciado em uma start-up é resultado do cenário de negócios em constante mudança.

As start-ups orgulham-se de se moverem rapidamente. É provável que a função para a qual alguém foi contratado pareça drasticamente diferente depois de alguns meses. Isso permite que profissionais ambiciosos prosperem ao abraçar a mudança e a trabalhar de forma independente.

Inovação

As start-ups são pequenas equipas autónomas que trabalham em condições de extrema incerteza, procurando um modelo de negócios repetível e escalável, com foco no valor que fornecem ao seus clientes. Há também muitas dinâmicas em jogo numa start-up e um número importante de restrições. Por exemplo, tempo e dinheiro, e o tipo de financiamento que as start-ups conseguem precisam de validação constante e a prova de que estão no caminho certo para as incentivar a continuar a experimentar.

A start-ups e empreendedores de forma mais ampla incorporam os princípios fundamentais da inovação para gerar resultados comerciais. Aceitam falhas e riscos e respondem a desafios e oportunidades com facilidade devido à sua agilidade. Veem o fracasso como uma experiência de aprendizagem para melhorar um produto ou negócio e estão constantemente a ajustar, a dinamizar e a reafirmar os seus modelos de negócios, design, produto ou serviço para se adequar ao mercado e criar valor para o cliente.

Cultura

Como as start-ups geralmente são administradas por uma pequena equipa a trabalhar em conjunto, a sua “cultura” é tipicamente um reflexo das paixões e personalidades da equipa fundadora. Na maioria das situações, cada indivíduo que trabalha numa start-up contribui para a cultura geral.

A cultura de start-up visa quebrar as barreiras e obstáculos de crescimento que as corporações mais estabelecidas podem ter e é conhecida por ser criativa, descontraída em vez de rígida e movida pela paixão.

Quando questionamos os profissionais sobre o que mais valorizam hoje em dia em uma empresa a resposta foi:

  • 42% Colegas e cultura que os inspiram a fazer o seu melhor
  • 34% Trabalho desafiador e interessante
  • 30% Gestão aberta e eficaz
  • 28% Autonomia sobre tarefas e prioridades
  • 27% Arranjos de trabalho fléxivel

Em conclusão vemos que as perceções dos profissionais sobre os contrastes entre empresas estabelecidas e pequenas empresas são significativas. As organizações estabelecidas precisam mover-se rapidamente para adotar as melhores partes da cultura de start-up nos seus negócios para competir pelos melhores talentos.

Para ter acesso à pesquisa completa, clique aqui.

»

Webinars
Robert Walters 

470070440
»
»
»
»