Como encontrar um trabalho gratificante? Faça estas 6 perguntas

homem de barba com telemóvel e mochila na rua

Já está a sofrer por antecipação porque amanhã tem outro dia entediante no escritório? Se perdeu a paixão pelo seu trabalho, talvez esteja na hora de fazer uma mudança, ou uma pausa. Encontre um trabalho que adore, procurando responder a estas seis questões.

1. O que gosta realmente no trabalho?

Quando se tenta perceber qual seria o trabalho dos nossos sonhos, pode ser tentador fazer exatamente isso: conjurar uma visão de um cargo fictício onde cada minuto é emocionante, o salário incrível, com regalias e benefícios excelentes. Porém, uma abordagem mais eficaz e realista é refletir no que realmente se gostou e não gostou noutros empregos no passado, e utilizar essas aprendizagens para informar o próximo passo. 

Assim, pense na última vez em que se sentiu mesmo envolvido e preenchido no seu local de trabalho, e procure lembrar-se do que lhe dava essa sensação. Era o trabalho que fazia? Estava especialmente interessado no tema, ou era a sensação de que estava a fazer uma boa contribuição para o negócio através do seu trabalho? Talvez estivesse a trabalhar com uma tecnologia de ponta, ou seria antes um posto que lhe permitia expressar a sua criatividade? 

Era o ritmo de trabalho? Algumas pessoas gostam de demorar o seu tempo e de não ser pressionadas ou apressadas, enquanto outras adoram a adrenalina de ambientes acelerados e prazos apertados.

Seria a forma como estava a trabalhar? Talvez adorasse ter imensa autonomia no seu posto, ou, se calhar, o que mais gostasse era de fazer parte de uma equipa. Gostava mais de ter vários projetos em simultâneo, ou preferia estar completamente focado num único objetivo de cada vez? Gostava de relacionar-se com membros da administração, cultivando boas relações em toda a empresa, ou sentia-se realizado com o foco da sua especialização? 

2. Para que é que tem mais jeito? 

Tendemos a ser apaixonados pelas coisas em que somos bons, mas quando não é esse o caso, isto é, se não tivermos essa habilidade, é difícil encontrar um posto onde seja realmente possível desenvolver a sua carreira. Assim, dê-se uns momentos para pensar nos seus pontos fortes e fracos da forma mais honesta que conseguir. 

Tome nota da sua lista de competências com o máximo detalhe possível, identificando não só competências técnicas, como também soft skills, por exemplo capacidades de negociação, de lidar com clientes difíceis, e boa gestão do tempo.

Se está a considerar uma mudança de carreira, talvez o mais complicado seja convencer um potencial empregador de que é um bom candidato para o cargo. Assim, é essencial que tenha refletido bem sobre tudo isto, e de que forma as suas competências são potencialmente transferíveis para outro posto.

3. O que quer aprender?

Nunca se deve parar de aprender, e isto é especialmente verdade no que diz respeito ao trabalho. Independentemente do nível em que se encontra, a chave para estar completamente motivado é poder desenvolver-se profissionalmente e continuar a aprender coisas novas de forma a manter o seu trabalho interessante. 

Assim, faça a sua pesquisa e encontre uma empresa que invista nos seus funcionários. A maioria das empresas que o faz chama a atenção para esse facto, mas procure melhor nas redes sociais e críticas de empregados em sites como o Glassdoor ou Google Reviews para ter uma noção mais realista. E, claro, pergunte ao entrevistador sobre oportunidades de training e desenvolvimento dentro da empresa. 

4. Em que tipo de cultura corporativa pode prosperar?

Uma companhia que está na moda com um excelente pacote de benefícios pode parecer muito boa ideia no papel, no entanto, se a sua cultura não encaixar bem com o seu perfil, pode acabar a sentir-se completamente infeliz no trabalho. 

É muito importante perceber como é a cultura de uma determinada empresa antes de aceitar uma oferta de emprego. O ambiente de trabalho onde vai estar inserido e a atmosfera em que trabalha contribui muito para a satisfação laboral. Assim, recorde os seus empregos anteriores e pergunte-se: que tipo de ambientes são melhores para si no dia a dia, contribuindo mais para a sua produtividade e satisfação?

Mais uma vez, uma pequena pesquisa nas redes sociais ou site de carreiras de uma empresa podem revelar muito do que realmente se está a passar num determinado local de trabalho em termos culturais: 

  • Parece ser uma cultura que apoia boas causas de forma séria, talvez encorajando voluntariado ou patrocinando projectos de caridade?
  • Parece haver muita socialização agitada, ou é uma atmosfera mais calma?
  • Sente que há um ambiente de apoio e trabalho em equipa, onde os sucessos de cada um são reconhecidos e celebrados?
  • Será um lugar onde toda a gente trabalha intensamente em conjunto até o objetivo estar cumprido, ou é mais um sítio que favorece o trabalho flexível e o work-life balance?
  • Sente que há provas de algumas características menos desejáveis, como falta de inovação ou excesso de burocracia? 
Independentemente do nível em que se encontra, a chave para estar completamente motivado é poder desenvolver-se profissionalmente e continuar a aprender coisas novas de forma a manter o seu trabalho interessante

5. Que impacto quer ter?

Para além de pensar no que uma companhia lhe pode oferecer, reflita sobre o efeito que pretende ter numa companhia. Por exemplo, se ajudar os outros é uma grande fonte de satisfação laboral para si, é importante saber se há várias oportunidades de o fazer antes de aceitar uma oferta de emprego. 

Dependendo da sua motivação, pode considerar se o seu potencial empregador oferece:

  • A liberdade de fazer crescer uma área do negócio
  • A oportunidade de desenvolver e liderar novos projetos
  • Participar em programas de mentoring
  • A oportunidade de participar em atividades de responsabilidade social corporativa

Pode valer a pena levantar estes pontos numa entrevista quando lhe perguntarem se tem algumas questões em relação ao cargo. 

6. O que encaixa com o seu estilo de vida atual?

Outro fator-chave que influencia a sua possível inclinação para um posto específico é o estado da sua vida pessoal. Se tiver filhos pequenos, é mais provável que valorize a segurança financeira e a oportunidade de trabalho flexível, enquanto se estiver solteiro e sem filhos se calhar prefere um cargo com menos segurança mas que inclua outros benefícios. 

Para perceber se um determinado emprego se vai equilibrar com o resto da sua vida pessoal, faça uma lista de prós e contras e considere a sua importância relativa. Tenha em conta aspetos como o tempo de deslocação casa-trabalho, a probabilidade de sair a horas decentes, a qualidade relativa do ordenado e benefícios, segurança laboral e horas de trabalho exigidas. 

Pode ser complicado ter esta conversa numa entrevista sem levantar dúvidas relativamente ao seu compromisso para com a oferta de emprego, por isso talvez o melhor seja investigar online para descobrir as opiniões honestas de empregados dessa companhia. Leia mais do que uma crítica para ficar com um panorama geral e uma opinião mais informada. 

Finalmente, não ponha demasiada pressão em si mesmo para encontrar um trabalho de sonho. Pode não ser o seu próximo emprego, e talvez demore mais ou menos tempo a acertar. Mas ao pensar conscientemente sobre o que realmente é importante para si, tem mais probabilidades de ser bem sucedido mais cedo.

Pronto para encontrar um posto que considere enriquecedor? Veja e candidate-se às nossas últimas ofertas

Conselhos de carreira 

Read more »

Veja as nossas ofertas
de emprego 

Read more »

Fale connosco 

Read more »

Compare o
seu salário  

Read more »

Subscreva os nossos 
alertas de emprego 

Read more »