Co-working é vantajoso tanto para o empregador quanto para o empregado

mulher morena no computador

Uma pesquisa recente do Robert Walters Group descobriu que os empregadores não gostam que os empregados trabalhem em casa após o isolamento, apesar da maioria dos funcionários querer continuar trabalhando remotamente. Algumas empresas afirmam que, desde que seus funcionários começaram a trabalhar em casa, houve um nível reduzido de produtividade e produção de trabalho.

Embora esse não seja o caso para todos, pode-se argumentar que existem aqueles setores que exigem uma abordagem mais prática e uma personalidade profissional da empresa. Por exemplo:

  • serviços criativos de TI
  • tecnologia
  • suporte

Esses serviços parecem funcionar bem com uma configuração de trabalho remota, enquanto as empresas de serviços financeiros e jurídicos preferem ter um endereço físico da empresa, onde podem se apresentar profissionalmente.

Além das preocupações com a produtividade de trabalhar em casa, muitas empresas estão sentindo uma perda da identidade da marca e da cultura da empresa, que é uma parte crucial da formação do comportamento, dos valores e das atitudes dos funcionários. Estudos têm mostrado que quando os funcionários se identificam com os valores de uma empresa, eles são mais propensos a se envolver com seu trabalho, o que, por sua vez, aumenta a fidelidade do cliente. Portanto, é do interesse da empresa manter viva a cultura corporativa.

O desafio agora, porém, para muitas empresas, especialmente as maiores com grandes equipas, é acomodar as expectativas de mudança dos funcionários trazidas por sua "nova" forma de trabalhar, mantendo ao mesmo tempo um senso de controle. O que é encorajador é que, na mesma pesquisa:

  • quase 50% dos empregadores indicaram que buscarão adaptar suas ofertas em resposta à mudança nas expectativas dos funcionários
  • de acordo com um relatório recente do Fórum Econômico Mundial, 84% dos empregadores têm um plano para expandir o trabalho remoto.

Uma das maneiras pelas quais já estamos vendo as empresas fazerem isso é recorrendo a soluções de co-working.

Já um conceito popular entre start-ups, pequenas empresas e freelancers, os espaços de co-working estão se tornando uma opção vantajosa para ambos empregadores e funcionários de empresas maiores. Isso se deve em grande parte aos recursos disponíveis para os funcionários em um ambiente flexível.

Os trabalhadores têm acesso a equipamentos básicos como:

  • impressoras
  • scanners
  • conexão à internet
  • espaço físico para receber entregas ou realizar reuniões, sem a rigidez de um escritório permanente - o que também é uma grande economia para os empregadores.
  • Outra atração desse ambiente é a capacidade de colaborar criativamente e se conectar com outras pessoas no espaço, algo que se perdeu durante a pandemia covid-19 e, infelizmente, teve um impacto negativo na saúde mental dos funcionários.

Ao ter a opção de ir a um local de trabalho por algumas horas por dia, os funcionários podem recarregar e reconectar-se com os colegas de trabalho e também com a cultura da empresa. Os empregadores são então capazes de supervisionar a produtividade e responsabilizar os funcionários, ao mesmo tempo que oferecem uma sensação de flexibilidade. É uma solução de "atender a meio caminho" que considera o bem-estar e a sanidade de ambas as partes.

Na verdade, a conversa em torno do bem-estar e do equilíbrio entre a vida profissional e familiar foi reacendida pela pandemia, levando os empregadores a reconhecer seu papel em ajudar seus trabalhadores a alcançar esse equilíbrio. Os funcionários de hoje procuram mais do que apenas um contracheque; eles querem trabalhar para empregadores que valorizam o bem-estar e a independência e que podem se adaptar aos tempos de mudança.

O modelo de trabalho remoto certamente não vai desaparecer após a pandemia; seu apelo só aumentará, à medida que mais funcionários buscarem uma abordagem mista ou híbrida de como trabalham. A transformação digital acelerada em todos os setores também está facilitando a adoção de um estilo de trabalho mais flexível em movimento, e as empresas que demoram a se adaptar podem correr o risco de perder os melhores talentos ou atrair novos recrutas.

Para os empregadores que estão hesitantes ou se sentindo oprimidos pelas mudanças que acontecem na força de trabalho, eles podem se consolar em saber que existem soluções de espaço de trabalho que podem tornar a transição para a "nova" forma de trabalhar mais fácil.  

‘’É tudo uma questão de estar aberto a isso. A principal consideração é garantir que os funcionários se sintam ouvidos e atendidos; se as empresas conseguirem fazer isso direito, o resto tomará conta de si mesmo.’’ Finaliza François-Pierre Puech, country manager da Robert Walters Portugal.

banner mulheres sentadas - conselhos contratação

Conselhos de
contratação

»

 Smart Working 

banner seta azul neon - contacto
»

Envie-nos a sua oferta de emprego 

banner prisma lilás - enviar oferta de emprego
»

E-guides Insight Series 

banner túnel iluminado às cores - salary survey
»

Webinars 

banner setas coloridas iluminadas - newsroom
»